janeiro 2017

Reciclagem do óleo de cozinha

Muitos bares, restaurantes, hotéis e residências ainda jogam o óleo utilizado na cozinha direto na rede de esgoto, desconhecendo os prejuízos dessa ação. Independente do destino, esse produto prejudica o solo, a água, o ar e a vida de muitos animais, inclusive o homem.

Quando retido no encanamento, o óleo causa entupimento das tubulações e faz com que seja necessária a aplicação de diversos produtos químicos para a sua remoção. Se não existir um sistema de tratamento de esgoto, o óleo acaba se espalhando na superfície dos rios e das represas, contaminando a água e matando muitas espécies que vivem nesses habitats.

Dados apontam que com um litro de óleo é possível contaminar um milhão de litros de água. Se acabar no solo, o líquido pode impermeabilizá-lo, o que contribui com enchentes e alagamentos. Além disso, quando entra em processo de decomposição, o óleo libera o gás metano que, além do mau cheiro, agrava o efeito estufa.

Para evitar que o óleo de cozinha usado seja lançado na rede de esgoto,  cidades, instituições e pessoas de todo o mundo têm criado métodos para reciclar o produto. As possibilidades são muitas: produção de resina para tintas, sabão, detergente, glicerina, ração para animais e até biodiesel.

Mas como fazer isso em condomínio?

Se informe com seu síndico ou com a administradora como fazer para reciclar o óleo. Há vários programas que recolhem o óleo no próprio condomínio e o reciclam criando novos produtos.

O sucesso destes programas de reciclagem de óleo de cozinha depende inteiramente da participação da comunidade. Todos esses programas de coletas, sejam governamentais ou não-governamentais, oferecem todas as informações necessárias para a reciclagem do óleo e também esclarecimentos sobre proteção ambiental, justamente para inserir a sociedade na responsabilidade ecológica.

Administradora F&FReciclagem do óleo de cozinha
Leia mais

Boa convivência em condomínios

É muito difícil administrar um espaço dividido por tantas pessoas diferentes. E a maior dificuldade não são as inúmeras guias a serem pagas, os documentos para checar, ou as apólices de seguro que não podem vencer. A parte mais trabalhosa da vida do síndico é lidar com os moradores.
Veja algumas dicas do que você pode fazer para melhorar o convívio no seu condomínio e dar essa ajudinha para o síndico!

– Respeite os horários de silêncio estabelecidos pelo condomínio. Música alta, furadeira, máquina de lavar e ensaios com a banda só entre os horários determinados pelo Regimento Interno.

– Evite andar de salto alto dentro do apartamento.

– Quando o animal de estimação do seu vizinho estiver fazendo muito barulho, primeiramente, converse com o dono. Muitas vezes, o proprietário do cão ou gato passa o dia inteiro fora de casa e nem sabe que o animalzinho está causando transtorno.

– Quando fizer festa em casa, não é necessário convidar os vizinhos, mas é preciso respeitar o horário de silêncio determinado pelo Regimento Interno.

– Evite falar ou brigar em volume alto. Os vizinhos não precisam saber os detalhes da sua vida íntima.

– Caso o seu vizinho esteja brigando e se excedendo em casa, interfone para a portaria e peça para que o síndico ou zelador converse com ele. Caso isso se repita, pode também registrar isso no Livro de Ocorrências, pra que o síndico tome as medidas cabíveis.

– Na hora de empurrar móveis e fazer outros barulhos que podem incomodar o vizinho de baixo ou de cima, tenha bom senso: faça isso em horários razoáveis para evitar acordar o seu vizinho, por exemplo.

– O porteiro é um funcionário do condomínio e não particular. Não peça para que ele abandone o posto dele para fazer alguma entrega: além de errado, pode colocar em risco a segurança do prédio.

– Tenha bons modos mesmo que esteja sozinho. Lembre-se que a maioria dos prédios, atualmente, têm câmeras de segurança.

– Carrinhos de supermercados são de uso comum e, por isso, devem ser devolvidos no local correto para que todos possam encontrá-lo e utilizá-lo também.

– Suba com o carrinho de supermercados e com sacolas de compras pelo elevador de serviço. Assim, você evita desconforto no caso de visitantes que queiram utilizar o elevador social.

– Cachorros devem sempre circular por áreas comuns, inclusive o elevador, com coleira, focinheira e no colo do dono. Caso o seu cão tenha porte grande, espere o elevador ficar vazio para utilizar o elevador com seu pet.

– No elevador, é terminantemente proibido fumar. Além disso, com a lei anti-fumo que vigora em alguns Estados brasileiros, também fica proibido fumar em algumas áreas comuns do condomínio que tenham toldos, por exemplo.

– Elevador não é brinquedo: é preciso ensinar as crianças a não apertarem diversos botões, pois podem danificar o elevador, prejudica o dia a dia das pessoas e pode até causar acidentes.

– Evite utilizar bronzeadores se for entrar na piscina. Esses produtos soltam gordura e acabam sujando a água. Além disso, ninguém é obrigado a usar bronzeador por tabela.

– Evite correr em volta da piscina, assim como dar saltos que molhem as pessoas que estão fora.

– Boa parte dos condomínios não permite levar aparelhos de som, pois se trata de um espaço comum. Verifique.

– Também se atente para o consumo de comidas e bebidas na área da piscina. Eles devem ser consumidos fora da piscina para evitar contaminar a água. Prefira alimentos que não fazem sujeira e utilize copos e pratos de plásticos para evitar cortes e acidentes com vidro. Verifique.

– Alguns prédios exigem exames médicos para que condôminos e visitantes utilizem a piscina. Na dúvida, consulte o síndico ou o regulamento interno do seu prédio.

– Animais não devem ser trazidos para a área das piscinas, pois podem contaminar a água e até mesmo causar acidentes.

– Cada espaço tem um limite de pessoas para garantir a segurança e o sucesso da festa. Caso o Regimento Interno não tenha essa informação, pergunte ao síndico ou zelador quantos convidados a festa pode ter antes de sair convidando os amigos.

– Cada condomínio tem seus procedimentos para festas, mas caso o seu não, se possível, deixe uma lista de convidados na portaria para evitar penetras e garantir a segurança.

– Em uma festa, convida-se quem tem afinidade com você: Parentes e amigos são muito bem vindos. Não é necessário convidar seus vizinhos, a não ser que eles sejam seus amigos.

– Toda festa precisa de música, mas dentro de um volume razoável, que não incomode os vizinhos. O som pode ficar ligado até às 22h.

– Após a festa, deixe o local organizado e limpo, mesmo que o condomínio tenha um profissional de limpeza para isso.

Esperamos que essas sugestões, possam ajudar a reger e melhorar o ambiente em seu condomínio!

Administradora F&FBoa convivência em condomínios
Leia mais